Ir para o conte√ļdo

1

Ir para o menu

2

Ir para busca

3

Ir para o rodapé

4

ACESSIBILIDADE

5

CONTRASTE

6

MAPA DO SITE

7
 

Livros ūüďē

URI Permanente para esta coleção

Documento que forma uma unidade bibliogr√°fica (rolo, tomo, volume).

Navegar

Submiss√Ķes Recentes

  • Item
    Agendas Queimados 2030: plano de desenvolvimento sustent√°vel para a cidade
    (Associação Casa Fluminense, 2021) Golfinhos da Baixada; Pedala Queimados; Amapara; Bxd_QM2; Casa Fluminense
    A Agenda Queimados 2030 pretende ampliar o debate a respeito das pol√≠ticas p√ļblicas para esse territ√≥rio e ainda estimular e influenciar as propostas das pr√©-candidaturas das elei√ß√Ķes municipais de 2020 e futuras. Al√©m disso, provocar na popula√ß√£o a cultura de participa√ß√£o e monitoramento das a√ß√Ķes pol√≠ticas nas esferas legislativas e executivas. O processo de constru√ß√£o da Agenda pautou-se na escuta minuciosa da popula√ß√£o a partir das a√ß√Ķes dos coletivos envolvidos. Tamb√©m foi de suma import√Ęncia a an√°lise e coleta de dados de documentos que se ocuparam em estudar esse territ√≥rio com pesquisas que resultam em m√ļltiplos diagn√≥sticos.
  • Item
    Agenda Japeri: Japeri mais humana e sustent√°vel
    (Associação Casa Fluminense, 2021) Casa Fluminense
    A ‚ÄúAgenda Japeri 2030‚ÄĚ tem como objetivo desenvolver o potencial humano, social, econ√īmico, cultural e ambiental de maneira sustent√°vel, identificando as potencialida- des e as necessidades do munic√≠pio de Japeri. O documento foi feito pela elabora√ß√£o de metas e a√ß√Ķes com constru√ß√£o participativa, visando √† valoriza√ß√£o e respeito aos direitos humanos, buscando combater as desigualdades sociais. Japeri acaba de completar 29 anos desde sua emancipa√ß√£o em 30 de junho de 1991 e conta com uma vasta √°rea de reserva natural, como, por exemplo, o rio Guandu e o Pico da Coragem, lugares que s√£o considerados refer√™ncias tur√≠sticas para a cidade. A cidade ainda possui uma rica e diversa produ√ß√£o cultural e tem como um dos pontos fortes a agricultura familiar. Por√©m, ainda hoje √© considerada como uma cidade-dormi- t√≥rio, possui um dos maiores tempos de deslocamento casa-trabalho do pa√≠s, det√©m um alto √≠ndice de trabalhos informais, ocupa a terceira posi√ß√£o no que se refere √† taxa de homic√≠dio e baixa expectativa de vida. Desejamos mudar a realidade de nosso munic√≠pio e para isso estamos pensando e construindo juntos a ‚ÄúAgenda Japeri 2030‚ÄĚ em busca de uma sociedade mais equ√Ęni- me. Onde os cidad√£os e as cidad√£s de Japeri, possam ter direito de escolher trabalhar fora ou dentro da cidade, ter direito ao lazer, √† cultura, o direito de ir e vir. Em que possam desfrutar de sua cidade de forma integral na busca de um desenvolvimento mais sustent√°vel.
  • Item
    Agenda Realengo 2030: agenda de desenvolvimento local
    (Associação Casa Fluminense, 2022)
    Ao contr√°rio dos versos da m√ļsica de Gil que nos dizem que ‚Äúo Rio de Janeiro continua lindo‚ÄĚ, o morador de Realengo sabe dos diversos problemas que enfrentamos todos os dias. Este pequeno documento que voc√™ recebe hoje √© uma tentativa de fazer com que a nossa viv√™ncia, no bairro que tanto amamos, possa ser feita com mais acolhimento e menos descaso. Ent√£o, para todo mundo que vai continuar com a gente e ler a agenda at√© o final, j√° agradecemos e dizemos: ‚ÄúAquele abra√ßo!‚ÄĚ.
  • Item
    Agenda Magé 2030
    (Associação Casa Fluminense, 2021) Castilho, Arthur; Soares, Ramon
    Com o apoio da Casa Fluminense, o coletivo N√£o corte, Plante prop√īs a cria√ß√£o de uma cartilha contendo pol√≠ticas p√ļblicas para Mag√©, em di√°logo com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustent√°vel da ONU, propondo politicas p√ļblicas inclusivas e com participa√ß√£o popular centralizadas nas justi√ßas: econ√īmica, racial, de g√™nero e socioambiental. Acreditamos que a constru√ß√£o de uma sociedade mais justa se faz somente com a participa√ß√£o popular. Nesse sentido, as propostas da Agenda Mag√© 2030 foram constru√≠das por meio de consulta p√ļblica e em di√°logo com lideran√ßas locais de diversos segmentos da sociedade e que ser√° entregue aos representantes do Poder P√ļblico com sentido de orientar novas pol√≠ticas com base nas propostas dos pr√≥prios moradores do munic√≠pio. Diagn√≥sticos e propostas foram constru√≠dos com base em cinco eixos, tendo como refer√™ncias, car√™ncias do munic√≠pio apresentadas em documentos como o Mapa da Desigualdade 2020 e o Atlas de Desenvolvimento Urbano do Programa das Na√ß√Ķes Unidas. Os 5 eixos s√£o: Sa√ļde e Saneamento B√°sico; Infraestrutura e Mobilidade Urbana; Educa√ß√£o, Cultura, Meio Ambiente, Arte e Lazer; Emprego, Renda e Economia Criativa; Assist√™ncia Social.
  • Item
    Plano Santa Cruz 2030: um programa de desenvolvimento sustent√°vel na Zona Oeste do Rio
    (2021)
    O presente Plano √© parte do Programa Santa Cruz 2030, que vem sendo constru√≠do coletivamente desde 2017 ‚Äď ano da comemora√ß√£o dos 450 anos de Santa Cruz ‚Äď para articular o di√°logo e as a√ß√Ķes entre as organiza√ß√Ķes da sociedade civil e as iniciativas privadas da Regi√£o Administrativa (RA), composta pelos bairros de Santa Cruz, Sepetiba e Paci√™ncia, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.
  • Item
    Agendas São Gonçalo 2023: ressuscita São Gonçalo
    (Associação Casa Fluminense, 2021) Ressuscita São Gonçalo; Agência Papa Goiaba; Casa Fluminense
    A Agenda S√£o Gon√ßalo 2030 reuniu 40 propostas de pol√≠ticas p√ļblicas para sua elabora√ß√£o, feita a partir dos diagn√≥sticos sociais produzidos pelo Ressuscita S√£o Gon√ßalo.
  • Item
    Vida social e política nas favelas: pesquisas de campo no Complexo do Alemão
    (Ipea, 2016) Rodrigues, Rute Imanishi
    Os cap√≠tulos reunidos neste livro resultaram de uma singular experi√™ncia coletiva vivida por um grupo de intelectuais com trajet√≥rias e perspectivas diversas. De imediato, percebemos a motiva√ß√£o comum para enxergar e compreender a pot√™ncia, velada, nas a√ß√Ķes empreendidas pelos moradores de um grande territ√≥rio popular, na dire√ß√£o da conquista de uma vida digna na cidade. Pot√™ncia essa tornada invis√≠vel pelo estigma do lugar e de sua gente, permanentemente nutrido por aqueles que t√™m voz e pautam o debate p√ļblico. Esse √© o caso das favelas do Complexo do Alem√£o, nome cunhado nos anos 1990, quando as pol√≠ticas de conten√ß√£o socioterritorial s√£o redefinidas em conformidade com o aprofundamento da segrega√ß√£o na cidade do Rio de Janeiro.
  • Item
    Juventudes em movimento: sistema de indicadores de cidadania (Incid) aplicados ao Complexo do Alem√£o
    (Ibase, 2020) Instituto Brasileiro de An√°lises Sociais e Econ√īmicas (Ibase); Instituto Ra√≠zes em Movimento
    Esta publica√ß√£o apresenta o Sistema Incid aplicado ao Complexo do Alem√£o. Nela est√£o contidos os indicadores de cidadania criados para avaliar a efetividade dos direitos humanos neste territ√≥rio, no √Ęmbito do Projeto Juventudes em Movimento, realizado de 2018 a 2020 pelo Ibase em parceria com o Instituto Ra√≠zes em Movimento e o apoio do IDRC (International Development Research Center).
  • Item
    Carta de saneamento da Maré: Complexo da Maré
    (Associação Casa Fluminense, 2021) Casa Fluminense; Data_Labe; Redes da Maré
    Contribui√ß√Ķes da Mar√© para o desenvolvimento de pol√≠ticas socioambientais no contexto das elei√ß√Ķes municipais de 2020 e parte integrante da Agenda Rio 2030.
  • Item
    Software livre, cultura hacker e ecossistema da colaboração
    (Momento Editorial, 2009) Alencar, Anderson Fernandes de; Machado, Murilo Bansi; Evangelista, Rafael de Almeida; Silveira, Sérgio Amadeu da Silveira; Aguiar, Vicente Macedo de
  • Item
    Plano de ação popular do CPX: Agenda 2030
    (Instituto Raízes em Movimento, 2022) Pinheiro, Alan Brum; Dias, Samantha Sales
    Para a constru√ß√£o deste Plano de A√ß√£o Popular do CPX, buscamos entender, junto com organiza√ß√Ķes locais, as demandas das(os) moradoras(es) do territ√≥rio. Fizemos um intenso trabalho coletivo, a partir de um ac√ļmulo hist√≥rico de articula√ß√£o e lutas, para identificar problemas enfrentados pela popula√ß√£o e levantar solu√ß√Ķes. Nosso objetivo foi consolidar uma agenda de pol√≠ticas p√ļblicas para o bairro e fazer uma movimenta√ß√£o de incid√™ncia pol√≠tica com atores do Legislativo e do Executivo e, de forma mais geral, com toda a sociedade, articulando problemas e potencialidades do territ√≥rio com quest√Ķes de interesse social muito mais amplo.
  • Item
    Praça pr'alemão ter: o germinar de uma praça verde no Morro do Alemão
    (PROURB/FAU/UFRJ, 2017) Benetti, Pablo Cesar; Carvalho, Solange Araujo de
    O livro Pra√ßa Pr‚ÄôAlem√£o Ter ‚Äď o germinar de uma pra√ßa verde no Morro do Alem√£o, relata a experi√™ncia de constru√ß√£o de uma pequena pra√ßa em regime de mutir√£o no Morro do Alem√£o/RJ, ocorrida em 2015 envolvendo estudantes de gradua√ß√£o, o mestrando Rodrigo Codevila e os professores Pablo Benetti e Solange Carvalho coordenadores da disciplina de extens√£o Projetos de Urbaniza√ß√£o Alternativa da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro ‚Äď FAU/UFRJ, a organiza√ß√£o local Instituto Ra√≠zes em Movimento e moradores do Alem√£o. Com pr√≥logo de Luiz Carlos Toledo, texto da turma 2015.1 da disciplina e artigos do Instituto Ra√≠zes em Movimento e de Pablo Benetti, a publica√ß√£o registra um momento potente de apropria√ß√£o e transforma√ß√£o de um espa√ßo sem uso resultante de demoli√ß√Ķes das obras do PAC ao longo da Av. Central no Morro do Alem√£o. Esse registro vem dar materialidade a essa mem√≥ria e permitir a sua replica√ß√£o enquanto estrat√©gia de mobiliza√ß√£o e interven√ß√£o pol√≠tica em outras √°reas.
  • Item
    Complexo do Alem√£o: uma bibliografia comentada
    (UFRJ.PROURB, 2017) Pinheiro, Alan Brum; Motta, Eugenia; Benetti, Pablo Cesar; Matiolli, Thiago Oliveira Lima
  • Item
    Ninguém entra, ninguém sai: mobilidade urbana e direito à cidade no Complexo do Alemão
    (Fundação Henrich Böll Brasil, 2017) Veloso, Sérgio; Santiago, Vinícius
    Esta publicação é o resultado final da pesquisa intitulada Mobilidade Urbana como Direito à Cidade, cujo objetivo foi mapear e sistematizar as dificuldades enfrentadas por moradores do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, no que diz respeito à maneira como se deslocam pela cidade, assim como suas demandas e propostas.